Ratos

BIOLOGIA DOS RATOS

Rato é o nome dado a mamíferos pertencentes à Família Muridae, tendo como características principais o focinho afilado e a cauda comprida. Esses roedores possuem olfato bem aguçado, apresentam um par de dentes incisivos frontais muito desenvolvidos e afiados. Os ratos e os camundongos diferem, principalmente, no tamanho, mas quanto as outras estruturas são aparentemente idênticos. O dorso apresenta pelagem de coloração cinza, marrom, vermelha ou preta, e a região ventral, freqüentemente, é acinzentada. A cauda é escamosa e desprovida de pelagem. Medem em torno de 80 a 300 mm, exceto a cauda que pode apresentar tamanhos diversos e muitas vezes é de tamanho similar ao corpo. Chegam a atingir de 200 a 400 gramas, com alguns indivíduos alcançando os 500 gramas. O corpo apresenta formato de bolsa ou até certo grau é fino. Em algumas espécies o pé é adaptado a uma vida terrestre, enquanto em outras é adaptado a uma vida arborícola. Ao todo, são mais de 700 espécies existentes em todo o mundo.

A ratazana (Rattus norvegicus), o camundongo (Mus musculus), e o rato-preto (Rattus rattus) causam muitos prejuízos para a humanidade. A boa oferta de alimento e abrigo são características favoráveis para que se reproduzam e mantenham-se próximos a locais nos quais há tais condições. Os ratos escondem-se durante o dia em buracos, sob rochas, em troncos e pilhas de lixo. À noite saem para procurar alimentos. Estes animais são escaladores extremamente ágeis, e podem correr por um fio de apenas 1,6 mm de diâmetro. Em residências, podem ser achados em lugares altos e secos. Podem ser encontrados também em amontoados de lixo, procurando alimento.

São animais onívoros, comendo uma ampla variedade de plantas e matérias animais. Muitas espécies têm preferência por sementes, cereais, nozes, vegetais e frutas. Podem fazer parte da dieta insetos e outros invertebrados (por exemplo, a minhoca). A espécie que vive entre os humanos pode se alimentar de qualquer coisa, como sabão, couro, papel e cera-de- abelha, caixas, fios de alta tensão, até mesmo madeira, tijolos e alumínio. Podem transmitir pelo menos 55 doenças, direta ou indiretamente. A peste negra é uma dessas doenças, que provocou a morte de cerca de 1/3 dos europeus em meados do século XIV . Outra doença bastante conhecida é a leptospirose, de incidência maior em eventos relacionados a enchentes.

Em muitas espécies existe um sistema social, onde o macho dominante delimita um território contendo algumas fêmeas. Cada macho exclui os outros de seu território, e apenas ele pode-se acasalar com as fêmeas residentes. As fêmeas de uma colônia cuidam coletivamente de suas proles. Estas colônias territoriais se mantêm muito bem organizadas e os ninhos são cuidadosamente mantidos. Os machos não dominantes possuem um território definido, e estes não podem circular em territórios de machos dominantes. Em tocas não organizadas e ninhos pobremente mantidos, as fêmeas, quando entram no cio, são seguidas por vários ratos machos e podem se acasalar uma centena de vezes em uma noite até que condições de estresse resultem em uma baixa muito grande na reprodução. Esse fator é considerado o responsável pelo controle da população de ratos. A fêmea pode apresentar de 4 a 12 mamas (sempre em número par). O período de gestação é de 21 a 22 dias em fêmeas não lactantes e de 23 a 29 dias em fêmeas lactantes. Geralmente nascem 8 jovens, e as fêmeas podem se acasalarem novamente em apenas 3 a 5 meses, após o último parto. A maturidade sexual se dá em torno dos 80 dias. Os ratos podem viver por até 4 anos.

Ratos também são animais extremamente inteligentes. Assim, capturar um único indivíduo que, silenciosamente, devora os alimentos da sua despensa, não é tarefa fácil. Eles geralmente evitam armadilhas, conseguem identificar um alimento envenenado e têm senso de direção invejável, conseguindo identificar rotas alternativas com facilidade.

 Rato-preto (Rattus rattus): Mede cerca de 20 centímetros, com pouco menos de 19 centímetros de cauda. Pode fazer ninhos dentro de habitações e, não raras as vezes, em telhados ou copas de árvores; saindo dali somente para buscar alimento (no interior das casas). Possuem bom equilíbrio e são excelentes saltadores.

– Ratazana, ou rato-de-esgoto (Rattus norvegicus): Mede cerca de 20 centímetros, com 18 centímetros de cauda. Costuma fazer tocas em torno de habitações, em terrenos baldios ou quintais malcuidados, geralmente subterrâneas, sempre com duas ou mais entradas, facilitando sua fuga em casos em que isso seja necessário. Também é encontrado em esgotos.

– Camungondo (Mus musculus): Mede cerca de 9 centímetros, com cauda de mesmo tamanho. Faz ninhos dentro de habitações, gavetas, atrás do fogão, em dispensas, etc.